Quando a assunto é inteligência corporativa, o termo do momento é “Data Driven”, e é fundamental que as empresas estejam atentas ao que essa nova forma de enxergar o poder do correto tratamento e aproveitamento de informações pode oferecer.

Outro termo bastante relacionado ao Data Driven e que está muito presente é o de análise preditiva, ligado à capacidade de inferir tendências e propensões (de consumo, por exemplo) a partir do cruzamento de dados oriundos de diversas fontes. E se essa descrição de estudo preditivo se assemelha ao conceito de Big Data, não é mera coincidência, já que essa tecnologia é bastante aplicada nesse contexto.

Quer entender melhor sobre o que é esse conceito e como ele pode ajudar sua empresa a ser mais estratégica? Então continue lendo!

Qual é a melhor definição de Data Driven?

Para simplificar esse início de conversa, podemos dizer que a ideia de Data Driven diz respeito a uma solução que poderá trazer respostas a questões fundamentais às decisões que irão ditar os rumos de um negócio, como:

Qual cliente tem mais propensão a consumir meu produto ou serviço?

Em que momento e lugar minha abordagem ao cliente será mais assertiva?

Qual o perfil do público-alvo da minha campanha de marketing?

Quais os fatores que tornam a concorrência uma ameaça ao meu negócio?

Quais parceiros são confiáveis para trazer para junto da minha estratégia empresarial?

Qual a dimensão do risco de se oferecer crédito a determinado perfil de cliente?

Um dos conceitos mais comuns de data driven explica que se trata de uma metodologia orientada a dados, que podem ser de pessoas físicas ou jurídicas, na condição de clientes, parceiros, fornecedores ou concorrentes. Essas soluções se baseiam em algoritmos que cruzam grandes volumes desses dados e os transformam em respostas para o sucesso de negócio.

Como principal benefício, esse método permite que as empresas errem menos em suas estratégias. Isso porque são oferecidos elementos para decisões e abordagens mais acertadas, que dão a real noção de tempo, direção e esforço que serão necessários para que determinada estratégia dê resultados.

Embora possa ser adotado em qualquer disciplina que envolva a administração de uma empresa, a aplicação mais comum do Data Driven é no marketing e na gestão de riscos. O foco do marketing é a coleta de dados sobre o cliente, seus costumes, anseios, necessidades, gostos e engajamento com uma marca. Já na mitigação de riscos, os principais resultados são para reduzir chances de fraudes e probabilidade de inadimplência.

Por que vale a pena investir em uma solução de Data Driven?

Para que seus gestores possam se concentrar na gestão do negócio — sua função primordial —, as empresas devem criar ambientes e condições favoráveis para que seus líderes possam se dedicar a macroprocessos, à tomada de decisão e à criação de estratégias para continuidade do empreendimento.

Para isso, é indispensável a disponibilidade de ferramental composto por dados e tecnologia que junte todas as informações necessárias e apresente-as de forma organizada, customizável, de fácil interpretação e em interfaces intuitivas, que possam ser consultadas de qualquer lugar.

Tudo isso é possível se for adotada uma solução de Data Driven. Caso a empresa não tenha estrutura ou know-how específicos para essa missão, o mercado oferece boas alternativas compostas. Consultoria, implantação de sistemas e ferramentas, treinamento e ainda redesenho de processos, para que o terreno esteja preparado para receber o novo método de trabalho, podem ser encontrados com facilidade.

Algumas empresas oferecem, ainda, soluções que sequer consomem a infraestrutura de TI do cliente, disponibilizando plataformas completas na nuvem com uma simples, mas não menos segura, autenticação de acesso. Nessa modalidade de oferta do serviço, todo o suporte de hardware necessário para que a solução funcione plenamente fica a cargo do fornecedor, que compartilha seus equipamentos robustos, como servidores e rede.

Possibilidade de melhorar a estratégia da empresa

Especialmente no campo do marketing, uma motivação decisiva para o uso dessas técnicas de extração e tratamento de dados é a possibilidade de calcular o ROI (retorno sobre investimento). Isso porque ações planejadas a partir de insumos do Data Driven são totalmente mensuráveis e, dessa forma, é possível apontar com segurança o retorno dos esforços empreendidos.

Os resultados serão mostrados destacando o que funcionou e o que não gerou o impacto esperado. Esse tipo de relatório permitirá redefinir os rumos das próximas estratégias e, assim, otimizar os recursos investidos nesse tipo de iniciativa.

As empresas estão mesmo aplicando o Data Driven?

Muitas empresas já estão sofisticando suas análises e melhorando a performance do seu negócio com a incorporação de técnicas e ferramentas de Data Driven em seu cotidiano. Análises confiáveis estão sendo realizadas a partir de diagnóstico e mapeamento de dados não só de clientes, mas também da concorrência e de eventuais parceiros.

Um exemplo é a famosa sexta-feira de descontos que acontece uma vez ao ano, a chamada Black Friday. Para otimizar as campanhas de marketing por e-mail e esquentar as vendas no dia promocional, há toda uma análise de dados do cliente para que a intervenção seja efetiva, direcionada às pessoas certas, no momento certo e com linguagem adequada para alcançar o objetivo de alavancar as vendas.

Outro case de aplicação do Data Driven é a startup Wine, conhecida por ser o primeiro clube do vinho do país. A estratégia da empresa foi desenvolvida em uma plataforma que automatiza as campanhas de e-mail marketing, que disponibilizam conteúdos personalizados e aderentes ao perfil do consumidor, o que só aprimora sua experiência e engajamento. Para isso, são coletadas e analisadas informações de dados de compra e feedback de consumo dos clientes.

Na era da informação, tudo pode ser mensurado! E esse potencial precisa ser aproveitado pelas empresas que querem ter um diferencial competitivo, aproveitar as oportunidades de negócio, aumentar sua rentabilidade e se consolidarem no mercado. O Data Driven está aí para propiciar o domínio das informações que envolvem os cenários em que a empresa está inserida.

Achou interessante a abordagem de gestão orientada a dados? Tem alguma experiência para relatar? Comente e contribua para ampliar a discussão dessa tendência do mundo dos negócios!