O cenário atual é muito complexo. Com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, é muito comum que empresas que não conseguem se adequar aos novos modelos e novas oportunidades fiquem pelo caminho e acabem por fechar as portas. Mas já passamos da fase em que gerenciar empresas era apenas uma questão de intuição e faro para o negócio.

Hoje, o Business Intelligence é uma opção fundamental para compreender de uma forma ampla todas as pontas de um negócio, pode trazer inúmeras vantagens e aumento dos lucros. Para entender melhor o que é o Business Intelligence, continue lendo este post!

O que é Business Intelligence

O termo Business Intelligence, que também pode ser abreviado como BI, diz respeito exatamente ao processo de coleta, análise, monitoramento e organização de informações que vão auxiliar na gestão do negócio. É a mágica que torna uma quantidade enorme de dados em informações relevantes para uma tomada de decisão mais precisa e eficaz — um conjunto que reúne o seu negócio, a gestão do seu negócio e a tecnologia da informação.

E o profissional de BI é aquele que é capaz de conseguir identificar, por meio de todos os dados coletados, as necessidades e desejos dos clientes, bem como fraquezas e oportunidades do mercado. Essa combinação reduz muito os riscos, os erros, e melhora as entregas, mas é preciso conseguir todos os dados necessários para fazer esse tipo de análise.

O que é Big Data

Como já dissemos, o Business Intelligence trabalha com a análise de muitos dados. Mas de onde vem esses dados? É aí que entra a big data — esse é o nome que damos a esse grande número de dados disponíveis em muitas plataformas. Hoje é possível coletar por meio da Internet, telefones celulares, imagens, vídeos e pesquisas, por exemplo. Eles são obtidos de forma bruta (não organizada) e passam por um refinamento que faz com que eles façam algum sentido juntos, e tragam respostas.

Vejamos um exemplo: os dados podem mostrar que seus clientes compram determinados produtos regularmente, com um certo intervalo de tempo. A partir de uma análise desse comportamento, você pode oferecer um plano de compras direcionado aos hábitos e intenções que conseguiu identificar nos seus clientes.

Outro exemplo: você quer colocar um novo produto no mercado, mas não tem certeza como seria a receptividade do público. Utilizando os dados de big data, você pode saber precisamente se existe espaço para mais um produto, se as pessoas estão interessadas, e quanto elas precisam daquele produto.

Juntando as ferramentas

A reunião dos dados coletados com o Business Intelligence é que trará subsídios para que você ou seu gestor tome as melhores decisões para sua empresa. Tendo como base os exemplos acima, com os dados coletados e a inteligência você poderia saber qual é o melhor jeito de aproveitar o padrão de compras do seu cliente. Talvez oferecendo planos e fidelizando a compra, ou talvez oferecendo uma compra programada? Os dados são capazes de mostrar a melhor decisão, sem nenhuma necessidade de correr riscos à toa.

No caso de colocar um novo produto no mercado, além de saber se ele será viável ou não, você pode também saber exatamente o que esperar das vendas, e entender o que o mercado precisa, fazer ajustes, se forem necessários, e investir a quantidade exata para trazer bons frutos, sem desperdício.

BI aplicado ao varejo

Muitas grandes empresas já estão unindo Business Intelligence e Big Data para proporcionar experiências incríveis para o cliente, com benefício e praticidades que parecem coisa do futuro. O Walmart, por exemplo, já disponibiliza um app em que o cliente pode fazer uma lista de compras de forma genérica, apenas dizendo os produtos que deseja, como biscoito, refrigerante, macarrão ou sabonete.

O sistema identifica imediatamente suas marcas preferidas, coloca no carrinho virtual e já diz o total da compra. Depois, é só esperar os produtos chegarem em casa. Em menos de 5 minutos o cliente consegue resolver um problema que levaria no mínimo 20 dentro do supermercado. Escolher as marcas, procurar nas gôndolas, esperar na fila do caixa… tudo isso é facilitado!

Inteligência também no entretenimento

Outra campeã em utilizar os dados coletados de forma brilhantes é a Netflix. Atualmente, a empresa oferece um dos maiores serviços de streaming de vídeos do mundo, com mais de 75 milhões de assinantes. Teoricamente, são 75 milhões de pessoas fornecendo dados sobre o próprio comportamento pessoal o tempo todo, e analisar esses dados faz parte do trabalho diário dos funcionários da empresa.

É assim que, depois de um tempo de uso, por exemplo, o sistema passa a te indicar exatamente os filmes que você gosta de assistir, ou os seriados que mais combinam com você. Isso é conhecer individualmente o hábito de cada cliente e preparar um algoritmo capaz de atender cada indivíduo. O seriado House of Cards, por exemplo, foi todo construído em cima de análise de dados e preferências dos consumidores.

Personalização

Uma empresa que investe em personalização gera credibilidade, confiança, desperta boas sensações, e faz com que o cliente fique mais propício a compras. Uma pesquisa feita pela Brain Sins indica que 77% dos consumidores dizem que encontrar recomendações de produtos é extremamente útil, e 33% dos consumidores disseram ter comprado produtos recomendados.

Ou seja, quando você conhece seu cliente, consegue fazer indicações com precisão, tornando-se não só um fornecedor, mas também um parceiro de confiança. De um modo geral, utilizar Business Intelligence na gestão de empresas traz uma série de benefícios: diminuir perdas, evitar riscos desnecessários, e, provavelmente, ainda pode aumentar a margem de lucros.

Por isso é preciso estar aberto à novas formas de gerenciar, novas plataformas, novos serviços e novos modelos. O processo de implantar uma nova gestão pode até ser complexo, mas os resultados são incomparáveis. Grandes empresas já estão apostando uma fatia bem alta do faturamento na gestão de Business Intelligence, saindo na frente e ultrapassando concorrentes.

Esse é o momento de se diferenciar, crescer e ganhar espaço no mercado! E você, como enxerga essa mudança? Como o Business Intelligence poderia colocar seu negócio em um novo patamar e trazer vantagem competitiva? Conte para gente nos comentários!