Clique aqui e conheça as iniciativas Neoway para a Covid-19

Solicitar demo

Blog

Voltar

Inteligência Artificial: o que é, como funciona e exemplos

Inteligência Artificial: o que é, como funciona e exemplos

Para além das obras de ficção e das polêmicas e debates éticos, a Inteligência Artificial (IA) é uma tecnologia utilizada extensivamente no nosso dia a dia.

Dos assistentes de voz em nossos smartphones aos chatbots de atendimento, passando pela automação em grandes indústrias, a IA revela a todo instante, novos potenciais e formas de auxiliar o ser humano nas mais diferentes áreas.

Neste post, descubra afinal o que é Inteligência Artificial, quando surgiu, conheça suas aplicações e entenda o que o futuro dessa tecnologia nos reserva. Acompanhe!

O que é a Inteligência Artificial?

Inteligência Artificial é um conceito que pertence à computação e consiste na capacidade que máquinas (físicas, softwares e outros sistemas) têm de interpretar dados externos, aprender a partir dessa interpretação e utilizar o aprendizado para resolver tarefas específicas e atingir objetivos determinados.

Em outras palavras, a Inteligência Artificial busca fazer com que as máquinas pensem como os seres humanos, ou seja, que possam analisar, raciocinar, aprender e decidir de maneira lógica e racional.

Afinal, como surgiu a Inteligência Artificial?

A história da Inteligência Artificial remete aos primeiros computadores, em meados do século XX. As primeiras pesquisas originaram na década de 1950, com base nos estudos de Alan Turing.

O termo “Inteligência Artificial” foi cunhado em 1956, na conferência de Dartmouth. John McCarthy, um dos idealizadores do conceito, então definiu IA como:

“Fazer a máquina comportar-se de tal forma que seja chamada inteligente caso fosse este o comportamento de um ser humano."

Já nos anos 1960, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos iniciou suas primeiras pesquisas, que consistiam em treinar um computador para emular raciocínios humanos básicos.

Esses trabalhos foram o pontapé inicial para o aprofundamento de pesquisas na área. Os estudos e projetos envolvendo Inteligência Artificial foram intensificados a partir de 1980, impulsionados pelos avanços da tecnologia e as necessidades de diferentes indústrias.

Como funciona a Inteligência Artificial?

Como funciona a Inteligência Artificial?

O funcionamento da Inteligência Artificial se baseia na combinação de grandes volumes de dados digitais e algoritmos inteligentes. Respectivamente, eles permitem ao sistema ler e interpretar padrões e informações para aprender automaticamente.

É importante destacar que, para que esse aprendizado aconteça, o sistema de Inteligência Artificial precisa ser constantemente alimentado com novos dados.

Assim, o funcionamento da IA baseia-se em:

  • Modelo de dados: estruturas utilizadas para processar, categorizar e analisar dados;
  • Big Data: disponibilização de grandes volumes de dados;
  • Poder de processamento: trata-se da capacidade operacional do sistema em processar as informações.

Para que todo esse processo aconteça, no entanto, é necessário combinar diferentes tecnologias que, juntas, possam, conferir à máquina a capacidade de imitar o raciocínio lógico humano.

São elas:

Machine Learning

A Inteligência Artificial é um campo extenso que abrange diferentes conceitos.

Um dos pilares fundamentais para que a IA consiga atingir os resultados esperados por seus desenvolvedores é o Machine Learning – do português, aprendizado de máquina.

Como o próprio nome já diz, essa tecnologia torna os sistemas capazes de aprender sozinhos e evoluir.

E isso se dá pelo processamento de dados e identificação de padrões, que possibilitam a tomada de decisões sem a necessidade de que o sistema seja programado para chegar a uma determinada conclusão.

Sem o Machine Learning, portanto, a Inteligência Artificial como conhecemos hoje não seria possível.

O Machine Learning é empregado, por exemplo, no sistema de recomendações personalizadas de serviços como Amazon e Netflix.

As máquinas analisam os dados de consumo dos usuários para identificar padrões e sugerir conteúdos ou produtos mais alinhados ao gosto de cada pessoa.

Deep Learning

Outro alicerce da Inteligência Artificial é o Deep Learning, um aprofundamento do Machine Learning. Porém, com capacidade de tornar o aprendizado do sistema mais complexo e inteligente para que forneça resultados ainda mais acertados.

O Deep Learning utiliza redes neurais complexas, que seguem a mesma lógica da ligação entre os neurônios no cérebro humano.

Aliado ao avanços da capacidade computacional, o sistema aprende padrões complexos e a interpretar grandes quantidades de dados.

Uma das aplicações mais comuns do Deep Learning é no reconhecimento de imagens e fala, sendo utilizado também no desenvolvimento de veículos autônomos.

Processamento de Linguagem Natural (PLN)

Quando pensamos em Inteligência Artificial, é comum remetermos à cultura pop, como cinema e televisão.

Nesse sentido, um mundo em que as máquinas interagem e se comunicam com os seres humanos de forma absolutamente natural só será possível graças ao Processamento da Linguagem Natural.

O PLN consiste na utilização da tecnologia de Machine Learning para que o sistema analise, entenda, encontre padrões e gere linguagem humana de modo natural, inclusive na forma de fala.

Os avanços nessa área nos levarão a um próximo estágio, que consiste justamente na interação de linguagem natural entre máquinas e seres humanos.

O Processamento da Linguagem Natural é utilizado em áreas como análise de sentimentos, algoritmos que identificam o teor de um texto e também nos chatbots de atendimento ao consumidor.

Qual é o principal objetivo da Inteligência Artificial?

O principal objetivo da Inteligência Artificial é a criação de máquinas que possam emular o comportamento humano e raciocinar de maneira lógica para auxiliar em diferentes aspectos da vida humana.

Isso pode acontecer na realização de tarefas cotidianas, no avanço de pesquisas científicas ou na modernização de indústrias, especialmente em tempos de Indústria 4.0.

Quais são os tipos de Inteligência Artificial?

Os teóricos do campo da Inteligência Artificial costumam dividi-la em dois tipos: forte e fraca.

Vamos entender melhor esses conceitos.

Inteligência Artificial Forte

A Inteligência Artificial forte envolve a criação de sistemas capazes de raciocinar e resolver problemas. Por esse motivo, ela é classificada como autoconsciente.

A IA forte é o principal foco de controvérsias, uma vez que levanta discussões já conhecidas como o conceito de consciência nas máquinas.

Também apresenta problemas éticos decorrentes da criação de sistemas que sejam diferenciáveis dos seres humanos do ponto de vista cognitivo.

A Inteligência Artificial Forte e as discussões que a envolvem são um tema muito abordado na ficção científica: ‘Eu, Robô’ e ‘O Homem Bicentenário’, de Isaac Asimov, e ‘A. I. – Inteligência Artificial’, de Steven Spielberg são bons exemplos.

Inteligência Artificial Fraca

A Inteligência Artificial Fraca, por sua vez, é focada na criação de sistemas que não conseguem raciocinar e resolver problemas de modo consciente como os seres humanos.

Isso quer dizer que uma máquina dotada de IA Fraca poderia processar dados e fornecer resultados, porém sem a autoconsciência presente na Inteligência Artificial Forte.

Dentro dos campos da Inteligência Artificial Fraca está o Processamento da Linguagem Natural que vimos há pouco. Nesse caso, as máquinas utilizam softwares e algoritmos criados para finalidades específicas, como simular uma conversa humana.

Atualmente, boa parte dos avanços considerados relevantes para a área têm sido feitos na ciranda da Inteligência Artificial Fraca, com poucos progressos acontecendo no campo da IA Forte.

Onde se usa a Inteligência Artificial: 8 principais exemplos e aplicações

Onde se usa a Inteligência Artificial: 8 principais exemplos e aplicações

Hoje, a Inteligência Artificial é utilizada em diversas indústrias e segmentos da sociedade.

Algumas das aplicações mais usuais da IA são:

E-commerce

Grande sites de e-commerce lançam mão da IA para fornecer uma melhor experiência aos consumidores, com ações como:

  • Identificar preferências dos usuários com base nos seus comportamentos;
  • Recomendações de acordo com hábitos de consumo:
  • Uso de sistemas para atendimento.

Estas ações visam tornar as plataformas de e-commerce mais eficientes e focadas na experiência do usuários (UX) em todas as etapas da jornada de compra.

Entretenimento

Outra indústria que vem sendo muito impactada pelo uso da Inteligência Artificial é a do entretenimento.

Empresas como Netflix e outros serviços de streaming de vídeo, áudio e jogos empregam essa tecnologia para aperfeiçoar o sistema de recomendações para os usuários e melhorar a experiência na plataforma.

Indústria automobilística

O desenvolvimento de veículos autônomos de empresas como Tesla, Uber e Google se baseia na aplicação da Inteligência Artificial, em especial do Deep Learning. Testes já foram bem sucedidos e carros sem motorista devem ser realidade em breve em países como os Estados Unidos.

Vale destacar que o uso de drones tem como base a mesma tecnologia. O serviço de entregas da Amazon feito por estas máquinas já apresenta bons resultados.

Internet, redes sociais e aplicativos

A IA também está presente em nossos smartphones, computadores, nos mecanismos de busca e nas redes sociais que utilizamos.

O aplicativo Google Fotos, por exemplo, é capaz de identificar não apenas objetos e pessoas, como também situações específicas. Assim, o app categoriza as fotos e cria automaticamente vídeos e apresentações temáticas.

Outro serviço da empresa que utiliza a Inteligência Artificial é o Google Tradutor. Por meio de redes neurais, o aplicativo já é muito menos literal e até consegue compreender nuances da língua. E o Machine Learning torna o sistema mais preciso conforme sua utilização.

Por fim, outro exemplo de IA na internet são as redes sociais e a identificação de pessoas em imagens ou até mesmo na remoção automática de conteúdo impróprio, como acontece no Facebook.

Logística

O setor logístico é outro que já se beneficia da Inteligência Artificial. Por meio da análise de dados e da realização de previsões em tempo real, as empresas desse segmento conseguem reduzir custos e prazos, e agregar valor aos seus negócios.

Um exemplo é o uso da IA para identificar as rotas de entrega com tráfego menos intenso, reduzindo, assim, o tempo para entrega e o consumo de combustível da frota.

Manutenção preditiva

Outro uso das máquinas inteligentes é na detecção de anomalias em diferentes áreas a fim de aprimorar a manutenção preventiva de obras, veículos, dispositivos etc.

Por meio de dados de histórico e sensores, a IA ajuda a identificar anomalias e indicar o momento para realizar a manutenção em aviões comerciais e de carga.

Assim, além de mais segurança, é possível estender a vida útil desses bens.

Saúde

A área da Saúde também já utiliza soluções em IA para otimizar alguns serviços. Leitura de exames, análise de dados para identificação de doenças e até mesmo diagnósticos mais simples são feitos com ajuda de sistemas inteligentes e autônomos.

Setor industrial

Este foi um dos primeiros setores a implantar a Inteligência Artificial na sua rotina. A automação de diferentes funções elevou a produtividade, conferindo maior qualidade a agilidade.

Com a migração para a Indústria 4.0, a tecnologia deve estar ainda mais presente nas fábricas, controlando não apenas a produção, como também processos logísticos e até mesmo estratégicos.

A IA nas indústrias tem sido foco de muitos debates ao redor do mundo, pois já é preciso repensar a atuação de muitos profissionais em função da automação.

Será necessário remanejar a força de trabalho, em especial aquelas de caráter mecânico e repetitivo, para postos que exigem características unicamente humanas, como empatia, julgamento crítico e criatividade.

De que forma as empresas estão usando a Inteligência Artificial como vantagem competitiva?

Como comentamos, a Inteligência Artificial está presente em muitos setores e indústrias.

Afinal, ela pode otimizar o tempo, economizar recursos e auxiliar na tomada de decisões nas empresas por meio de insights baseados na interpretação de dados em tempo real.

A seguir, separamos 3 benefícios do uso da Inteligência Artificial como vantagem competitiva:

1. Automação

Um dos benefícios mais claros da IA é a automatização de processos repetitivos e/ou volumosos.

Do processamento de dados dos colaboradores de uma empresa pelo setor de Recursos Humanos até a automação na linha de produção de uma fábrica, a Inteligência Artificial pode ser utilizada para otimizar processos, melhorar a produtividade e o desempenho do negócio.

2. Interpretação de dados

Se o Big Data já conferia às empresas uma capacidade analítica extremamente vantajosa, a IA aprofunda a capacidade de interpretação de dados e gera mais inteligência a partir dessas análises.

Dessa forma, mesmo que a concorrência utilize métodos semelhantes, a empresa pode se beneficiar da identificação de padrões e leitura de dados estratégicos próprios para ter novos insights competitivos.

Veja mais sobre como é possível esclarecer cenários, aumentar o ticket médio das operações e melhorar a eficiência operacional no Bytes & Business, o podcast da Neoway.

No episódio Big Data e Inteligência Artificial: os caminhos para errar menos, entregar valor e acertar na estratégia comercial André Papaleo, Chief Sales Officer da Neoway, e Marcos Tadeu de Freitas, Head de Distribuição da Nestlé, falam sobre cases, experiências e tendências.

Previsibilidade

O mercado é imprevisível e vive em constante mudança. Por meio de sistemas inteligentes que analisam dados em tempo real, empresas conseguem agir com mais previsibilidade e ter acesso a insights que permitem definir sua atuação.

A análise preditiva permite às empresas identificar as situações mais prováveis no mercado e as oportunidades mais vantajosas, favorecendo a tomada de decisões estratégicas.

E não vale só para o mercado: os sistemas de IA podem ajudar a identificar padrões e a prever o comportamento dos consumidores. Assim, a empresa passa a ter em mãos dados concretos para desenvolver novas ações.

Leia mais: Como a Inteligência Artificial pode ser aplicada na rotina das empresas?

Como a Inteligência Artificial está sendo usada no Brasil

Como a Inteligência Artificial está sendo usada no Brasil

No Brasil, a Inteligência Artificial, embora ainda não esteja em estágios tão avançados como na Ásia e nos Estados Unidos, vem sendo utilizada em diferentes segmentos.

Alguns exemplos:

Atendimento ao cliente

Bancos e e-commerces brasileiros utilizam chatbots baseados em tecnologias de Inteligência Artificial para realizar o atendimento ao público.

Bots como a Bia do Bradesco, a Lu da Magazine Luiza e a Lia da Leroy Merlin são exemplos bem sucedidos de IA para lidar com o público.

Eventos

Na última edição da Oktoberfest da cidade de Blumenau, em Santa Catarina, foram instaladas mais de 150 câmeras com tecnologia embarcada de IA.

Além do monitoramento, o objetivo da ação era fornecer dados sobre a quantidade estimada de pessoas em determinada área para evitar lotação, identificar alguém que se perdeu e até mesmo reconhecer quando uma pessoa saiu ou entrou da festa.

Saúde

Em meio à pandemia de Covid-19 no Brasil, a Inteligência Artificial vem sendo empregada de diferentes maneiras para ajudar no combate ao vírus.

Alguns exemplos: identificar focos de contaminação, auxiliar centros de saúde no gerenciamento de chamadas e na resolução de dúvidas do público, combater fake news e identificar infectados.

Segurança pública

No carnaval de Copacabana de 2019, foi utilizado um sistema de Inteligência Artificial para a prevenção e identificação de crimes. Com 28 câmeras espalhadas pelo bairro, o sistema permitiu às autoridade identificar contraventores e recuperar veículos roubados.

Quais são os maiores desafios da Inteligência Artificial no Brasil

Alguns dos desafios enfrentados pelas empresas brasileiras na implantação da Inteligência Artificial são:

Capacitação

A realidade é dura: nem todas as empresas têm as competências técnicas necessárias para lidar com a Inteligência Artificial da melhor maneira.

Para que isso seja possível, é preciso contar com profissionais que dominam a tecnologia, algo também em falta no mercado.

Investimento

Seguindo a lógica do tópico anterior, todo o investimento em IA deve se precedido de um estudo sobre sua aplicação, sua atuação e os possíveis impactos para a empresa.

De nada adianta investir em inovações se os benefícios não estão claros ou, pior ainda, se não há vantagem alguma na implantação da tecnologia.

Integração

Integrar IA aos processos da empresa exige comprometimento. Afinal, trata-se de um processo de transformação digital, que envolve mudanças em toda a cultura organizacional da empresa.

Além disso, é preciso garantir a estrutura adequada – hardware e software – para que o sistema funcione adequadamente, o que pode pesar no orçamento de muitos negócios.

A privacidade é um dos temas que gera mais discussão quando o assunto é Inteligência Artificial. Não à toa, tramita no Senado um projeto de lei que busca estabelecer os princípios para uma política nacional na área.

Recentemente, o governo federal abriu uma consulta pública para debater os usos da IA no Brasil. Em maio de 2019, o país aderiu às diretrizes da OCDE, que orienta os governos a adotar sistemas que respeitem os direitos humanos e valores democráticos.

Essa discussão inclui também a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrará em vigor este ano, e pela necessidade de manter seguros os dados dos usuários, com soluções que previnam ataques cibernéticos e invasões.

Leia mais no artigo Big Data nas empresas: por que seu negócio deve ir além?, de Lucas de Paula, CTO (Chief Technology Office) da Neoway.

O que esperar para o futuro da Inteligência Artificial

O que esperar para o futuro da Inteligência Artificial

O futuro da Inteligência Artificial aponta para uma tecnologia que seja utilizada com cada vez mais transparência e ética. Isso passa por legislações que regulamentem o uso da tecnologia e do que pode ser feito com os dados.

Uma vez que esse patamar ético e legal seja alcançado, a IA terá campo livre para se desenvolver cada vez mais e fazer com que as atividades produtivas desempenhem no mais alto nível.

Isso inclui, invariavelmente, a eliminação de postos de trabalho e a necessidade de repensar a atuação de muitos profissionais.

Por fim, a Inteligência Artificial vai seguir revolucionando as formas de consumo e interação com as marcas e todos os relacionamentos humanos.

Nesse sentido, a Indústria 4.0 e a popularização da Internet das Coisas (IoT) são as inovações em IA mais palpáveis neste momento.

Conclusão

A Inteligência Artificial possui aplicações das mais diversas e, hoje, há um contato constante com essa tecnologia.

Do uso de aplicativos de tradução de idiomas em nossos smartphones até a predição de cenários e oportunidades em grandes empresas, a IA já faz parte da rotina e tende a ganhar ainda mais protagonismo.

Por isso, entender como ela funciona e compreender seus limites éticos e legais é fundamental para entender como fazer o melhor uso possível das suas potencialidades.

Saiba mais sobre estratégias e tecnologias para vender mais e melhor: continue acompanhando o blog da Neoway, e siga nossas páginas no Facebook e LinkedIn.

Quer saber como fazemos na prática?

Solicitar demo