Solicitar demo

Blog

Voltar

Marketing personalizado: é possível fazer em grande escala?

Marketing personalizado: é possível fazer em grande escala?

A personalização já é considerada uma parte mais do que necessária para uma estratégia de marketing robusta. Isso porque já estamos em tempos de ter foco total na experiência do consumidor (customer experience), que espera cada vez mais um relacionamento real com as marcas e exige ser tratado de forma individualizada. E é por meio do marketing personalizado que se consegue oferecer conteúdos e ofertas de um para um, independentemente do canal escolhido pelo cliente naquele momento.

Ter mensagens adaptadas às necessidades e características particulares de cada consumidor traz vantagens para os dois lados: clientes sentem-se valorizados, são melhor impactados e podem se interessar mais rapidamente; e empresas ganham em visibilidade, vendas e fidelização.

Mas vale lembrar que o marketing personalizado não pode ser confundido apenas com o envio de e-mails marketing com o nome do cliente. A personalização da estratégia vai muito além disso, promovendo um relacionamento mais próximo: é preciso entender a fundo o perfil de cada consumidor, seus desejos atuais - e futuros -, as vantagens que procura e em que momento as procura, entre tantas outras informações que permitam traçar um comportamento de compra com precisão.

O desafio, então, passa a ser como organizar uma estratégia eficiente, que seja individualizada ao máximo e também possa atingir todos os leads que estão em contato com a marca, nos seus diferentes canais de comunicação. Vamos falar mais como é possível ter um marketing personalizado, omnichannel e com escala.

Identificar o comportamento do consumidor é a base para um bom marketing personalizado

A capacidade de personalizar as mensagens depende diretamente do volume e da qualidade das informações que cada empresa detém de seus consumidores. Entre as principais, destacamos:

  • Cliques e tempo no site;
  • Navegação no app;
  • Carrinhos de compras abandonados;
  • Histórico de compras online e offline;
  • Comportamento em redes sociais e nos chats da marca;
  • Perfil sociodemográfico;
  • Geolocalização, etc.

É só com um banco de dados encorpado que se pode avançar em campanhas de marketing personalizado. A empresa pode e deve (seguindo, claro, sempre as questões de segurança e proteção de dados presentes na Lei Geral de Proteção de Dados - LGPD) coletar informações da sua audiência para enriquecer o perfil de seus visitantes iniciais e também da sua base de clientes. Estes insumos serão os responsáveis por incrementar, personalizar de fato a estratégia e ativar cada consumidor de maneira particular, de acordo com suas preferências.

Ser omnichannel também faz parte da estratégia

Ser omnichannel também faz parte de uma estratégia de marketing personalizado bem sucedida. Mas o que é ser omnichannel nesse aspecto? É interligar os canais de comunicação da marca, fazendo com que todas as diferentes partes da campanha funcionem juntas, mesmo que estejam em “ambientes” separados.

A intenção é estar onde for necessário, seguindo, em tempo real, o comportamento e vontade dos clientes, impactando-os de forma fluida por diferente canais. Portanto, as ações devem ser integradas e personalizadas, com uma régua de relacionamento que pode incluir campanhas de e-mails, SMS, mídias sociais e outras ativações via site ou aplicativos, e também podem interligadas de acordo com a geolocalização do cliente.

Afinal, quem nunca procurou por uma solução na internet, pesquisou bastante, avaliou depoimentos e, quando encontrou o produto em uma loja física, foi até lá para experimentar? É assim que acontece hoje, nesta evolução do varejo - a internet influencia mais de 50% das compras efetuadas em lojas físicas pelos consumidores conectados.

Então, quando uma marca consegue entender previamente e providenciar o que cliente está esperando para concretizar a venda, comunicando isso no canal em que ele está, chamamos isso de experiência omnichannel. E já está comprovado que eliminar as barreiras entre os mundos físico e digital traz vantagens, já que marcas que adotam a comunicação omnichannel retêm 89% dos seus consumidores e convertem em média até 30% a mais.

Tecnologia dá escala e permite integração online e offline

Como falamos, em uma estratégia de marketing personalizado, é preciso ter perfis mais precisos dos clientes, além de atendê-los em diferentes canais.

No entanto, ainda há uma grande dificuldade em integrar todos os dados vinculados a perfis individuais, pois as informações vêm de inúmeras fontes. Além disso, mesmo que se consiga organizar este volume de dados, é inviável analisá-los manualmente. Para ter insights produtivos na organização e ativação de campanhas, deve-se automatizar a análise e contar com um algoritmo inteligente para personalização em tempo real. Também é preciso ter ferramentas que permitem gerar e distribuir estas mensagens individuais para uma audiência grande e segmentada.

Hoje, isso é permitido por meio das novas soluções de automação de marketing embarcadas com Big Data Analytics e machine learning. Com elas, pode-se conciliar todas as tecnologias disponíveis para aperfeiçoar o marketing personalizado para ativar leads em diferentes canais.

Quer saber mais sobre automação de marketing aliada ao Big Data Analytics, então continue acompanhando o blog da Neoway. Teremos uma série de conteúdos sobre o tema e sobre como é possível vender mais e melhor com estratégias integradas.

Quer saber como fazemos na prática?

Solicitar demo