Solicitar demo

Blog

Voltar

Por que ter uma plataforma única de fontes de informação agiliza o score de crédito?

Empresas que atuam com concessão de crédito para pessoas físicas ou jurídicas - redes varejistas e concessionárias de veículos, por exemplo - tem um grande desafio quando o assunto é fazer a análise do perfil do futuro cliente, determinar seu score de crédito e os riscos da operação. Mesmo tomando todas as precauções e seguindo políticas de gestão para minimizar as ameaças de inadimplência, vender ou emprestar valores a prazo é sempre uma ação complexa para qualquer tipo de negócio.

De forma geral, é preciso buscar e cruzar uma série de informações em bancos de dados externos, como Junta Comercial e Receita Federal, para assim conceder os valores de forma mais segura possível. Para CNPJs, por exemplo, são consultados o número de ativos, passivos e capital próprio da empresa, as dívidas trabalhistas ou com a União, processos judiciais, certidões negativas, etc. Já para CPFs a busca é por bens, participação societária, renda estimada, vínculos empregatícios, dívida ativa, etc. Por meio da pesquisa é possível saber se a negociação será efetivada com um ‘bom’ pagador e com condições de quitar a dívida adquirida.

Mas quais as dificuldades encontradas neste processo de investigação? E há alguma forma de agilizar a apuração e análises de dados? Veja as respostas ao longo do texto.

Desafios para a gestão de risco de crédito

Como falamos, para ter um mínimo de segurança ao conceder crédito deve-se considerar uma série de informações do futuro cliente, relacionadas ao seu CNPJ ou CPF. Estes dados são agrupados para formar o score de crédito, que por sua vez se baseia (geralmente) em alguns critérios, conhecidos como os cinco C’s:

  1. Caráter - está vinculado ao histórico financeiro do cliente e sua reputação no mercado. Analisa-se principalmente as transações efetuadas no passado;
  2. Capacidade - diz respeito à capacidade do cliente saldar a dívida;
  3. Capital - corresponde ao patrimônio líquido da empresa-cliente e seus sócios. Tudo aquilo que compõe o inventário do solicitante do crédito;
  4. Colateral - se refere às garantias dadas em troca do crédito. A exemplo, pode-se citar equipamentos da empresa, imóveis, ativos, entre outros;
  5. Condições - tem como premissa a atual situação financeira do cliente, suas perspectivas e potencial para crescimento ou declínio.

Portanto, para uma gestão de riscos eficiente é preciso reunir informações do maior número possível de fontes relevantes. Além disso, elas devem estar acessíveis em tempo integral, serem constantemente atualizadas e facilmente compreendidas por todos os envolvidos no processo, o que significa que devem estar bem estruturadas.

Nesse contexto, a maior dificuldade é ter que realizar buscas manuais em diferentes fontes - mesmo que algumas como Serasa e Receita Federal já possibilitem integração com seus sistemas - e obter sempre dados atualizados. Outro problema é a pouca mão de obra destinada para a atividade. Muitas empresas deste segmento contam com equipes reduzidas para analisar tudo o que foi levantado, não conseguindo dar vazão às demandas.

Se não forem otimizados, estes procedimentos podem impactar diretamente na agilidade e qualidade da análise, atrasando ou tornando perigosa a concessão do crédito.

Sistema único facilita pesquisa e análise para o score de crédito

Um dos pontos primordiais para a validação deste tipo de operação é ter agilidade para buscar e analisar as informações dos clientes. É preciso saber com rapidez se tal pessoa ou empresa terá como pagar pelo empréstimo, para não ser ‘trocado’ pelo concorrente. Se outra empresa efetivar com mais eficiência o score de crédito do cliente, facilmente o ganhará.

Uma das maneiras mais simples para tornar a operação eficiente, rápida e segura, é utilizar a tecnologia para a validação do score de crédito. Estamos falando do uso de plataformas automatizadas de Big Data Analytics. Elas permitem reunir em um único sistema dados estruturados e atualizados de diferentes fontes, e possibilitam o cruzamento rápido destas informações. Assim, é possível ter uma visão mais ampla e em tempo real dos riscos relacionados a cada perfil de cliente e realizar análises preditivas para a tomada precisa de decisão.

A utilização da tecnologia aprofunda os processos de análise de dados e informações, permitindo às empresas lidar com diferentes fontes de análise, como histórico de transações financeiras, bancos de dados públicos e privados e consultas cadastrais em órgãos públicos, medidas que não seriam possíveis com os processos tradicionais.

Independente dos critérios e políticas adotadas pela empresa para classificar seus clientes e validar um score de crédito, as soluções de Big Data aumentam a eficácia dos processos e reduzem as perdas em função de uma análise equivocada ou pela inadimplência. Isso porque este tipo de ferramenta pode ser ajustada de acordo com os modelos e métricas relevantes (combinando diferentes critérios de busca) para cada empresa que a utiliza.

Por meio do Big Data Analytics, a concessão do crédito se torna mais inteligente e responsável. As instituições que investirem nesse tipo de processo otimizado para gestão de riscos irão mais facilmente evitar perdas financeiras, estando um passo à frente da concorrência.

Continue acompanhando as atualizações do blog da Neoway e fique por dentro das novidades sobre Risk & Compliance. Se tiver alguma dúvida, entre em contato.

Quer saber como fazemos na prática?

Solicitar demo